América Latina Português

Como escolher um picador ou triturador para os seus projetos de limpeza de terrenos

Dicas para selecionar a máquina certa para o seu negócio

Set-2010

A limpeza de terreno é um negócio grande e é preciso ter o equipamento certo para processar os resíduos de madeira da maneira certa. Na maioria das vezes, os empreiteiros têm pouco tempo para remover do terreno árvores, arbustos e vegetação de estrato baixo para poder começar a obra.

A seleção do equipamento correto é importante, pois ajuda a melhorar a produtividade. Existem diversas opções disponíveis, de picadores de galhos de grande capacidade a trituradores tubulares ou horizontais de grande volume. Cada um deles tem suas vantagens e limitações, dependendo do tipo de trabalho.

Dois critérios principais são geralmente cruciais ao se tomar decisões sobre o equipamento de limpeza de terrenos: mobilidade e produtividade (e o primeiro geralmente influencia o segundo). O tamanho da área a ser limpa é outro fator importante a ser considerado.

Os picadores de galho têm sido tradicionalmente usados em trabalhos de manejo de árvores. Atualmente, modelos maiores têm aparecido no mercado de limpeza de terrenos. Por exemplo, se o terreno a ser limpo é menor que 2 hectares, uma opção seria um picador de galhos grande motorizado ou rebocável. Os picadores de galho maiores têm a capacidade de processar materiais de até 53 centímetros de diâmetro, que é suficiente na maioria dos casos de limpeza de terreno.

Se a maioria dos trabalhos for em terrenos de 2 hectares ou mais, um triturador tubular ou horizontal poderá ser uma opção melhor, já que trituram maiores volumes mais rapidamente. Em uma situação onde um único terreno tenha diversas pilhas de resíduos, uma opção motorizada sobre esteiras pode ser altamente eficiente.

Como selecionar o picador certo
Mark Rieckhoff, gerente de vendas de soluções ambientais da Vermeer, afirma que uma regra prática é comprar um picador que tenha capacidade de lidar com um mínimo de 80 a 90% dos resíduos de árvores e arbustos que se pretenda processar.

“Por exemplo, se um empreiteiro de limpeza de terreno pretende processar árvores onde a maior parte do material tem de 41 a 51 centímetros de diâmetro, um picador de galhos com capacidade de 53 centímetros será suficiente”, afirma Rieckhoff.

Os picadores de galhos podem ser encontrados em modelos motorizados e rebocáveis. Os picadores rebocáveis têm muitas das mesmas vantagens que os picadores motorizados. No entanto, os picadores de galhos motorizados têm vantagens específicas em terrenos a serem limpos, já que os empreiteiros se dão conta que estes modelos podem reduzir os custos de mão-de-obra e aumentar a eficiência no canteiro de obras.

Um empreiteiro pode ser contratado para limpar um terreno de 0,4 a 2 hectares de árvores e arbustos. Um picador de galhos motorizado e de esteiras permite que o empreiteiro leve a unidade para o fundo do terreno e processo todas as árvores em uma só passada. Isso evita a necessidade de cortar as árvores em pedaços menores e mais fáceis de carregar para levá-las ao picador rebocável, reduzindo assim os custos do corte e da mão-de-obra. Em alguns casos, o loteador pode querer que o cavaco seja espalhado uniformemente pelo lote para controlar a erosão, ou deixado em uma leira para servir de cobertura orgânica quando o loteamento estiver pronto.

Ainda que os picadores de esteira tenham suas vantagens, os empreiteiros precisam saber se essas máquinas são compatíveis com seu orçamento e plano de negócios. Com um picador motorizado de esteira, um empreiteiro pode ampliar seu negócio e limpar o estrato baixo de matagais ou limpar redes de infraestrutura subterrânea.

“A maior vantagem do picador motorizado de esteira é sua praticidade; no entanto, ele terá um custo inicial mais alto do que um picador rebocável”, afirma Rieckhoff. “Os empreiteiros devem pensar com que frequência usarão o picador de esteira e se ele poderá ou não abrir novos mercados para o seu negócio e gerar benefícios financeiros.”

Ao comprar um picador de esteira, é importante selecionar um modelo com força de tração adequada. Mais especificamente, a unidade deverá ter torque e potência nas esteiras para que se movimente sozinha, ter a capacidade de movimentar-se em declives e aclives mesmo em condições úmidas.

Além disso, certifique-se de que as funções do picador funcionam independentemente. Em outras palavras, a máquina deve ser capaz de ter as esteiras funcionando sem que o tambor de corte esteja funcionando e a capacidade de ligar os rolos de alimentação sem que se liguem as esteiras.

Rieckhoff aconselha os compradores a não subestimar os outros recursos e a própria qualidade do picador.

“Não se decida diretamente pelas esteiras”, diz Rieckhoff. “Um empreiteiro não deve trocar o desempenho e confiabilidade do picador pela tração. A máquina precisa de uma boa combinação de esforço de tração, desempenho e histórico comprovado de resultados.”

Comparação entre trituradores tubulares e horizontais
Existem dois tipos comuns de trituradores – tubular e horizontal – que são usados em projetos de limpeza de terrenos. Existe um método para selecioná-los.

“Os trituradores trabalham melhor nas condições e nos trabalhos que correspondam melhor à sua capacidade”, disse Rieckhoff. “Os trituradores tubulares geralmente têm melhor desempenho com material pesado e de grande diâmetro, como tocos e raízes. Se o trabalho mais frequente for o de processar material bruto mais comprido, um triturador horizontal poderá ser uma opção melhor.”

No caso de alguns materiais, diz Rieckhoff, o triturador tubular parece ter uma produção mais alta, mas os modelos horizontais têm uma vantagem clara quando o material é mais longo ou de arbustos, geralmente encontrados nos serviços de limpeza de terrenos.

“Isto ocorre principalmente porque a profundidade do tubo é limitada e, ao processar materiais mais compridos e galhos mais longos, a alimentação pode ser difícil. Os modelos horizontais têm uma base de alimentação comprida e uma esteira que guia o material ao triturador, evitando o trabalho entediante de colocação e manipulação”, afirma.

Além disso, equipamentos de carga menores podem ser usados com os trituradores horizontais porque eles geralmente têm uma altura de alimentação menor que os trituradores tubulares. Isso pode ser um fator de decisão importante, dependendo dos equipamentos auxiliares que o operador tenha no canteiro de obras.

Os trituradores tubulares e horizontais têm equipamento opcionais específicos para cada um deles. Por exemplo, a Vermeer tem unidades horizontais de esteira e modelos rebocáveis convencionais.

“Em vez de rebocar a máquina por pequenas distâncias, ela pode ser movimentada pelo operador, possivelmente para áreas onde não poderia ser rebocada.”
Os trituradores tubulares da Vermeer, por outro lado, têm as opções com carregadeira e sem carregadeira.

A melhor visibilidade do tubo é uma das principais vantagens de se ter uma carregadeira com garras no triturador tubular. A cabine da carregadeira permite uma melhor visibilidade da cavidade tubular e os operadores podem carregar o material mais eficientemente. As carregadeiras independentes também eliminam a necessidade de peças adicionais de equipamentos, incluindo uma unidade de carga e o reboque necessário para transportá-la.

Máquinas sem carregadeira são comuns em canteiros de obra que tenham equipamentos multiuso de carga. Alguns trituradores tubulares sem carregadeira precisam de carregadeiras auxiliares para alcançar a capacidade de produção da máquina.

Como em qualquer máquina, a manutenção preventiva correta de um triturador aumenta sua durabilidade e garante sua produtividade. Rompedores, dentes, eixos do rompedor, placas de apoio e peneiras são itens de desgaste alto. No passado, alguns donos de trituradores negligenciavam a manutenção regular dos dentes e martelos devido ao tempo que isso consumia. A Vermeer se deu conta do problema e o resolveu com o lançamento de um sistema de tambor duplex patenteado para trituradores tubulares e horizontais. Isso dá ao operador a capacidade de mudar qualquer rompedor individual em poucos minutos sem necessidade de remoção de outros rompedores. O sistema torna os tambores Vermeer mais eficientes do que os tambores de “pino e placa” convencionais que dominam o mercado.

Os trituradores que estão no mercado têm potência entre 76 kW e 1193 kW (100 hp e 1600 hp). Considere duas coisas ao selecionar o tamanho: o volume e o tamanho do material a ser processado, e a necessidade de mobilidade.

Considerações sobre segurança no canteiro de obras
As cidades continuam a crescer, é comum que os projetos de limpeza de terreno sejam executados próximos a áreas comerciais ou residenciais estabelecidas. Por isso Rieckhoff aconselha os empreiteiros a levar em consideração os recursos de segurança ao selecionarem um triturador ou picador.

Um dos recursos oferecidos em trituradores e picadores de maior porte é o controle remoto por rádio. O controle remoto permite que um trabalhador opere a máquina de dentro da cabine da carregadeira que está sendo usada para alimentar o triturador, ou mesmo do chão.

Poderíamos até dizer que, no caso de picadores de galhos, os recursos de segurança estão se tornando mais importantes do que o tamanho e o desempenho. Bases de alimentação mais compridas aumentam a distância entre os elementos de corte e os operadores. Os novos aperfeiçoamentos inovadores são uma barra de controle superior melhorada com uma posição de parada de emergência adicional e a barra inferior de parada de alimentação estrategicamente localizada na ponta da base de alimentação, possibiilitando que os operadores a acionem com a perna e desliguem os rolos de alimentação, intencional ou automaticamente, em caso de emergência.

Nos últimos anos, a Vermeer projetou seus trituradores tubulares e horizontais para serem usados em canteiros de obra mais confinados. Um dos recursos é o sistema TORS (Sistema de contenção de objetos arremessados) patenteado em trituradores tubulares e o TOD (Defletor de objetos arremessados) em trituradores horizontais, que reduzem a quantidade e a distância dos objetos arremessados. Isso permite que os trabalhadores operem máquinas em espaços menores e mais limitados.

Não faça tudo sozinho
Rieckhoff acha que a coisa mais importante para os compradores é avaliar cuidadosamente todas as opções de marcas, modelos, tamanhos e máquinas disponíveis no mercado.

“Os clientes nunca tiveram tanta facilidade para encontrar um picador de galhos ou triturador que corresponda bem ao seu tipo de negócio, ao tipo de material que vão picar ou triturar, à produção de que precisam e ao ambiente em trabalham”, diz Rieckhoff. “Os compradores devem aproveitar toda essa pesquisa e desenvolvimento feita pelos fabricantes, pois foi feita com a intenção de beneficiá-los.”

No final das contas, a meta do empreiteiro deverá ser a de comprar uma máquina que agregue valor ao seu negócio. Rieckhoff diz que o melhor conselho que pode dar aos empreiteiros é o de pedir ajuda à equipe de vendas de um revendedor especializado e a um departamento de serviços confiável para identificar um fabricante com boa reputação e produtos de qualidade. “Eles o ajudarão a tomar uma decisão que seja acertada para a sua companhia”, diz ele.

Depois de definir o que é importante e prioritário, a decisão de escolher um picador de galhos ou um triturador para a limpeza de terreno torna-se bem mais fácil.